ReinoAnimalia
FiloChordata
ClasseActinopterygii
OrdemSyngnathiformes
FamíliaSyngnathidae
Género
Espécie

Hippocampus hippocampus

Linnaeus, 1758
Cavalo-marinho, Cavalo-marinho-de-focinho-curto
Estatuto de Conservação: DD - Informação Insuficiente
Saber mais

Corpo alongado de cor variável (laranja, verde, preto) com um “espinho” por cima dos olhos. Apresentam um exoesqueleto composto por placas ósseas imbricadas, que lhes permite proteger-se dos predadores. Medem até 15 cm de comprimento e passam a maior parte do tempo agarrados a um suporte com a sua cauda preênsil, seja alga, coral, esponja ou estrutura artificial como linhas de pesca.

Áreas costeiras pouco profundas (não mais do que 60 m) e turvas, estuários ou prados de gramíneas marinhas. Criam pequenas populações, em zonas com vegetação onde há pequenos crustáceos dos quais se alimentam. A sua época de reprodução está compreendida entre os meses de Abril e de Outubro, e são os machos que recebem numa bolsa incubadora os óvulos das fêmeas. Quando os óvulos são transferidos, os machos libertam o seu esperma na bolsa incubadora, fertilizando-os.

Nordeste do oceano Atlântico, desde o Reino Unido e Holanda até ao Senegal, incluindo a costa dos Açores, Madeira e ilhas Canárias, e o mar Mediterrâneo. A maior comunidade desta espécie em Portugal encontra-se na Ria Formosa.

Onde se pode encontrar:
Pesca acessória, apanha para aquarofilia, como objecto decorativo ou para medicina tradicional.

Deficiente em Dados pela IUCN mas registado no Livro Vermelho de Portugal. Em Portugal, a captura e retenção de espécies de cavalos-marinhos é proibida desde 2006.
Gasterosteus equus, Hippocampus antiquorum, H. antiquus, H. brevirostris, H. europaeus, H. heptagonus, H. pentagonus, H. vulgaris, Syngnathus hippocampus
Mais sobre esta espécie nas ligações seguintes:
OMARE | Observatório Marinho de Esposende
Ficha de Hippocampus hippocampus
Autor: MVBIO
Descrição Habitat Distribuição Multimédia Ameaças Conservação Sinonímias