ReinoAnimalia
FiloArthropoda
ClasseInsecta
OrdemOdonata
FamíliaLibellulidae
Género
Espécie

Sympetrum sanguineum

(Müller, 1764)
Libélula-cor-de-sangue
Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante
Saber mais

Libélula com cerca de 39 mm de comprimento e 31 mm de envergadura. No macho, destaca-se o vermelho-sangue da cara, dos olhos e do abdómen, que se apresenta dilatado nos três últimos segmentos; o tórax, geralmente avermelhado, apresenta suturas negras e tende a amarelecer na zona inferior. A fêmea tem a cabeça amarelada, sendo amarelo-acastanhada no resto do corpo, com bandas negras laterais no abdómen. Ambos os sexos têm as patas pretas. As asas são transparentes e apresentam uma pequena mancha basal amarelada; os pterostigmas são vermelho-escuros, podendo ser mais claros na fêmea. Voa em Julho e Agosto.

Ocorre em variados tipos de habitat (e.g. rios, ribeiros, charcos, barragens), preferencialmente em meios acidófilos. Prefere águas com vegetação pantanosa exuberante e, geralmente, evita águas com fortes correntes.

Apresenta uma distribuição fragmentada em Portugal continental. Ocorre, sobretudo, a norte do rio Mondego, no nordeste e centro-norte do território nacional. Apesar de existirem alguns registos na Estremadura e no Alentejo, parece estar praticamente ausente no sul do país.

Onde se pode encontrar:
Sem ameaças a destacar.
Sem medidas a destacar.
Libellula nigripes, L. rufostigma, L. roeselii, L. sanguineum, Sympetrum angustipennis, S. armeniacum , S. basale, S. nigripes, S. nigrostigma, S. obsoletum, S. roeselii, S. sykinia
Mais sobre esta espécie nas ligações seguintes:
Fauna Europaea | All European Animal Species Online
Distribuição do Sympetrum sanguineum
Autor: Eunice Venâncio
Descrição Habitat Distribuição Multimédia Ameaças Conservação Sinonímias