ReinoAnimalia
FiloChordata
ClasseAves
OrdemPasseriformes
FamíliaSittidae
Género
Espécie

Sitta europaea

Linnaeus, 1758
Trepadeira-azul
Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante
Impacte das Alterações Climáticas sobre a espécie
Saber mais

Trata-se de um passeriforme com cerca de 14 cm de comprimento, de corpo compacto e bico direito e comprido. A cabeça é cinzenta-azulada e apresenta uma mascarilha facial preta que se estende até ao bico. O dorso é também cinzento-azulado, enquanto as zonas peitoral e ventral são esbranquiçadas, com tons alaranjados. A cauda é relativamente curta. Possui a capacidade de percorrer os troncos no sentido descendente, sendo comum avistá-la agarrada aos troncos, de cabeça para baixo,

Ocorre em habitats florestais bem desenvolvidos e conservados, preferencialmente em carvalhais, montados de sobro e/ou azinho, soutos e pinhais. Recorre às cavidades existentes nas árvores para construir o ninho.

Espécie residente em Portugal continental, que pode ser observada ao longo de todo o ano, de norte a sul do território, ocorrendo com mais frequência nos montados e florestas do interior sul do país.

Onde se pode encontrar:
Sem ameaças a destacar.
Sem medidas a destacar.
Mais sobre esta espécie nas ligações seguintes:
Portal "Aves de Portugal"
Onde observar:
Previsão da distribuição da espécie no futuro
Iberia Change | Biodiversidade e Alterações Climáticas na Península Ibérica: Mapa da espécie
Birds in cork oak woodlands: improving management for biodiversity.
Martins (2012)
MITRA nature | ICAAM - Universidade de Évora
Biodiversidade da Herdade da Mitra
Diet and isotopic niche of insectivorous birds in montado and their potential role in pest regulation.
Machado (2014)

Previsão do impacte das alterações climáticas sobre a área de distribuição potencial da Sitta europaea na Península Ibérica, até ao ano de 2080 (clicar na imagem para ver em maior resolução).

O clima futuro foi caracterizado com base em três diferentes cenários de emissões (Araújo et al., 2012):
> o BAMBU tem como base a extrapolação das políticas europeias actuais para o futuro. Prevê a adopção de algumas medidas de mitigação das alterações climáticas.
> o GRAS pressupõe que a Europa incrementa a tendência de liberalização, desregularização e globalização dos mercados. Prevê a adaptação da sociedade às alterações do clima em detrimento da sua mitigação. As políticas de sustentabilidade são consideradas um sinónimo de crescimento económico.
> o SEDG pressupõe a integração de políticas ambientais, sociais, institucionais e económicas num contexto de sustentabilidade. É um cenário normativo que parte do pressuposto que as políticas são definidas com vista à obtenção de objectivos concretos.

Autor: MVBIO
Descrição Habitat Distribuição Multimédia Ameaças Conservação